Prezi - Convide 3 amigos e receba um upgrade

O Prezi.com permite que você crie apresentações de alto impacto através do conceito de apresentações de zoom. O Prezi utiliza o mesmo conceito do Google Maps para reduzir e ampliar imagens e textos de uma forma cativante que causa um alto impacto na audiência.


Convide 3 amigos e receba um upgrade gratuito de 3 meses

Para cada 3 amigos indicados por você que registrarem novas contas Prezi, você receberá um upgrade gratuito de 3 meses. Indique mais 3 amigos, e você receberá outros 3 meses grátis!
 Convide seus amigos Três deles se cadastram Você recebe um upgrade

Ir para o PREZI clique aqui, cadastre sua conta grátis e divirta-se


Depois que você usar o Prezi, irá aposentar o PowerPoint. As apresentações criadas no Prezi são auto-explicaticas e extremamente cativantes. Caso você ainda esteja em dúvida sobre as vantagens de trocar o velho Power Point para a inovação de Prezi, veja uma amostra de como Prezi possibilita que você faça apresentações divertidas e mais interessantes no vídeo abaixo. Ele também vai servir para responder futuras perguntas, assim como pode dar ideias na hora de você criar seu próprio Prezi.

Assista uma apresentação feita no PREZI

 

Internet: Direito de ser esquecido

Em tempos de privacidade cada vez mais rara, cresce o debate sobre o "direito ao esquecimento". Na semana passada ele se materializou em uma decisão da Corte Europeia de Justiça. Por ela, qualquer site pode ser obrigado a remover da internet dados "inadequados ou que não sejam mais relevantes".
Um cidadão espanhol reclamava que, ao buscar seu nome na rede, aparecia o link de um artigo de jornal publicado há 16 anos falando sobre o leilão de uma propriedade sua para quitar dívidas. A corte entendeu que o link deveria ser tirado do ar.
Apesar da preocupação legítima, o "direito de ser esquecido" é dos temas mais espinhosos hoje. Não por acaso entidades anticensura protestaram contra a decisão. A razão é o risco de efeitos colaterais. Como é praticamente impossível definir os limites desse direito, as decisões tornam-se subjetivas. E aí os problemas são muitos.
Por exemplo, pode haver chuva de gente solicitando a revisão do que está na internet, e também em arquivos de jornais, revistas e redes de TV. É como se ficasse liberado o revisionismo histórico.
Se há qualquer dado que desagrada alguém, basta pedir para apagá-lo. Outro problema é que a informação considerada "irrelevante" hoje pode não ser mais amanhã.
Um exemplo é a queima de processos judiciais "velhos". Assim foi destruído o processo de indenização por acidente de trabalho do ex-presidente Lula. Independentemente do apreço que se tenha por ele, trata-se de documento de interesse histórico.
Por isso, o "direito ao esquecimento", sob o prisma da liberdade de expressão, é mais veneno do que remédio.
Publicado na Folha de São Paulo
*Ronaldo Lemos é diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro e do Creative Commons no Brasil. É professor de Propriedade Intelectual da Faculdade de Direito da UERJ e pesquisador do MIT Media Lab. Foi professor visitante da Universidade de Princeton. Mestre em direito por Harvard e doutor em direito pela USP, é autor de livros como 'Tecnobrega: o Pará Reiventando o Negócio da Música' (Aeroplano) e 'Futuros Possíveis' (Ed. Sulina). Escreve às segundas.

Profissionais de Tecnologia: 80% querem se demitir por causa do estresse

Profissionais de Tecnologia: 80% querem se demitir por causa do estresse
Pesquisa realizada nos Estados Unidos pela empresa GFI Software aponta que 79% dos administradores de TI pensam em deixar seus empregos por causa do alto nível de estresse a que são submetidos. No ano passado, o número de trabalhadores estressados e descontentes com a área representava 53%.

Segundo o levantamento, 38% dos entrevistados declaram ter perdido funções sociais devido a problemas no trabalho; 35% deles reclamam não ter tempo para dedicar às suas famílias - mesmo durante o período de descanso; e 25% dizem ter tido a vida amorosa comprometida por causa da invasão profissional.

“A área de TI é conhecida como uma das mais estressantes para se trabalhar, agora mais ainda já que o papel que ela desempenha no mundo é fundamental”, explica Sergio Galindo, gerente geral de infraestrutura de negócios da GFI Software.  


A alta no descontentamento é explicada pela rotina de trabalho. O relatório apurou que 23% dos entrevistados fazem até 12 horas extras por semana. Em decorrência disso, declaram sofrer doenças psicológicas relacionadas ao estresse e se encontram em más condições físicas geradas pelas exigências corporativas.

De acordo com o analista que conduziu a pesquisa, para melhorar as condições de trabalho as empresas precisam fornecer orçamentos realistas, com a estimativa correta de pessoas que deverão trabalhar nos projetos - e promover mudanças a fim de automatizar as atividades.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...